Segundo estimativa do IBGE, Teixeira está entre as 10 cidades maiores da Bahia

Segundo estimativa do IBGE, Teixeira está entre as 10 cidades maiores da Bahia

- em BRASIL, Destaque, Geral, Notícias, Política, Saúde

Trecho da av.   São Paulo inaugurada recentemente pelo governador Rui Costa

Vejam abaixo a classificação das cidades com suas respectivas populações:

1° Salvador:                             2.938.092
2º Feira de Santana:                 622.639
3º Vitória da Conquista:          346.069
4º Camaçari:                              292.074
5º Itabuna:                                 220.386
6º Juazeiro:                               220.253
7º Lauro de Freitas:                 194.641
8º Ilhéus:                                   178.210
9º Jequié:                                  161.880
10º Teixeira de Freitas:           159.813

Ocorre que existem estimativas extraoficiais, de acordo com o número de imóveis residenciais, dando conta que Teixeira, hoje, tem mais cerca de 180 mil habitantes. Sendo assim, deve ultrapassar Ilhéus e Jequié, e ficar em 8º lugar. No ritmo de crescimento que vai, em breve, estará a frente de Lauro de Freitas, Juazeiro e Itabuna. Ficando no interior da Bahia atrás apenas de Feira de Santana, Vitória da Conquista e Camaçari.

O grande problema é que Teixeira cresceu de forma desordenada e sem uma infraestrutura adequada para ser uma cidade aonde se possa viver com melhor qualidade de vida. O poder público não acompanhou o crescimento da cidade. Segundo levantamento que o prefeito Temóteo Brito mandou fazer, a cidade só tem hoje 19% das suas ruas pavimentadas, sendo 13% de asfalto e 6% de bloketes e paralelo. Além do mais, os bairros periféricos se proliferaram sem nenhuma infraestrutura, nos quais os moradores vivem em condição sub-humana, sem nenhuma opção de lazer, por isso e outras ausências, os jovens sem enveredam pelo caminho das drogas. As consequências são nefastas, como, por exemplo, Teixeira também estar entre as mais violentas do Brasil se considerada a taxa de homicídios em cidades acima de 100 mil habitantes.

Diante desse quadro caótico, qual o caminho a ser percorrido pelos que governam o município, ou seja, os poderes constituídos, que são o Executivo, o Legislativo e o Judiciário, e ainda tem o 4º poder, que é a imprensa, a qual tem papel importante em ajudar os poderes que têm a responsabilidade direta. O que se vê, na maioria das vezes, é que todos os poderes jogam a responsabilidade em cima do Poder Executivo, como se não tivessem nada a ver com o problema.

Após o resultado de cada eleição, cabe aos eleitos identificar, de forma científica, para não cometer equívocos, quais são as prioridades da população, que varia de acordo com a cidade. No caso de Teixeira de Freitas, no 6º mês de governo, identificou-se, através de pesquisa, que a população teve um grau de tolerância maior, acredita-se que foi devido à crise que os municípios estão vivendo, entretanto, depois do oitavo mês se notou uma cobrança maior e o nível de tolerância teria esgotado, com isso, o governo estava reprovado pela grande maioria da população, ou seja, 49% achava que a administração estava ruim ou péssima, enquanto apenas 14% consideraram que a administração estava ótima ou boa.

Obra do Atacadão, em fase final de acabamento, deverá ser inaugurado no dia 10 de fevereiro

De posse dessas informações, o governo considerou que deveria atender as prioridades, identificou que as 3 primeiras eram: saúde, asfalto e geração de empregos, sem falar nos demais serviços, como limpeza urbana, patrolamento das ruas e iluminação pública. Assim, o prefeito deu atenção especial à saúde, investindo na estrutura dos equipamentos da saúde e também na saúde básica; asfaltou 100 mil metros quadrados de ruas e está fazendo um grande esforço na geração de empregos. Com essas ações, a avaliação do governo reagiu e reverteu os índices que estavam em queda livre. A avaliação de ótimo/bom dobrou o valor e foi para 28%, o ruim/péssimo caiu para a metade e ficou em 24%. O fator mais importante é que o grau de confiança da população cresceu e 55% passaram acreditar no governo, o que gerou mais esperança. Entretanto, 41% ainda não acreditam no governo, o qual não pode se acomodar diante da situação que se mostrou favorável e colocou o prefeito como uma das administrações mais bem avaliadas da região. Ele conseguiu reverter a tendência de queda num momento crítico que os municípios estão vivendo.

O prefeito tem dito que honrou os compromissos políticos na distribuição dos cargos, entretanto, após o primeiro ano, é importante que se façam ajustes na máquina administrativa, adotando os critérios técnicos na reestruturação do governo. Assim, certamente, haverá a dança das cadeiras no segundo ano de governo, mesmo porque as cobranças irão aumentar de forma substancial e a população quer respostas mais rápidas na solução dos problemas. Quem não conseguir acompanhar o ritmo que a população cobra não deverá ter espaço no governo. A maior cobrança vem através das redes sociais, que cada vez mais têm uma importância fundamental e devem ser levadas em consideração. Isso porque elas têm mobilizado as massas em todas as partes do mundo e quem não ficar atento ao clamor popular poderá ser surpreendido com a resposta do povo. O exemplo maior disso foi o que aconteceu no Brasil com a ex-presidente Dilma, em que o povo foi para as ruas pedir a sua saída e o congresso obedeceu ao clamor popular.

Asfaltamento do bairro Teixeirinha em fase final do término da obra

Segundo o prefeito, Teixeira é uma cidade fadada a ser uma grande metrópole e, por isso, ele tem pressa e anda a mil por hora, e quem não conseguir acompanhar seu ritmo, não poderá permanecer no governo. Ele tem dito em diversas oportunidades que vai transformar a saúde de Teixeira numa referência nacional, e para que isso possa acontecer é necessário que haja ações efetivas de toda equipe, principalmente dos que têm cargos de comando. Por isso, o prefeito precisa colocar as pessoas certas no lugar certo, independente de apadrinhamento. Nos casos das outras áreas, como infraestrutura, geração de empregos, educação e assistência social, que são as prioridades, o prefeito deverá agir com rigor na cobrança das ações da sua equipe de governo, e pelo que conhecemos do pulso firme que ele tem, não é de passar a mão na cabeça de ninguém.

O prefeito é um homem que sempre trabalhou com a política de resultados, e quer deixar a sua marca na história de Teixeira, uma cidade que ele implantou a mais de 30 anos e teve a oportunidade de voltar a governar os seus destinos depois de várias tentativas.  Temóteo tem dito que não tem tempo a perder e no seu discurso de posse deixou claro: quem não conseguir acompanhar seu ritmo não ficaria no governo. Vamos acompanhar os próximos lances a partir de janeiro. Teixeira, mesmo com a situação crítica que os municípios estão vivendo, está indo na contramão da crise.

SE O PREFEITO TEM PRESSA, TEIXEIRA TAMBÉM TEM PRESSA !

Por Dilvan Coelho / foconopoder

Veja também

AMV TEIXEIRA empata no seu primeiro amistoso visando a Copa do Descobrimento 2018

Aconteceu conforme anunciado, o jogo amistoso entre as